quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Protótipo 19 - Juliana Sinimbú

video

Os contatos iniciais de Juliana Sinimbú com a música foram as marchas de carnaval que sua avó cantava e os discos de samba e bossa nova que seus pais ouviam sempre. Foram canções como essa que ela passou a cantar com os amigos. A primeira apresentação profissional foi na abertura do Projeto Somar, no espaço São José Liberto a convite do violonista Salomão Habib, em 2006. Desde então Juliana tem cantado com freqüência nos principais teatros, bares e casas noturnas de Belém. Fora de Belém Juliana tem feito shows no interior paraense e também no Amapá e no Rio de Janeiro, além de representar o Pará numa turnê pela França em 2008, ao lado dos grupos La Pupuña e Trio Manari. No segundo semestre de 2010, lança o seu primeiro CD solo, Sonho Bom de Fevereiro estreando como compositora na música que dá nome ao álbum.
Integrantes:
Juliana Sinimbú (vocais)
Renato Torres (violão e direção musical)
Arthur Kunz (bateria)
Maurício Panzera (baixo).
Músicas no Protótipo:
Além mar (Renato Torres / Dionélpho Jr.)
Santuário do pau de aroeira (Caê Rolfsen e Vicente Barreto)
Bem musical (Juliana Sinimbu / Renato Torres)
Simpatia (Juliana Sinimbu)
Botão de rosa (Renato Torres / Juliana Sinimbu)
Nem venha (Cláudia Cunha / Luciano – Salvador/Bahia)
Flor da idade (Chico Buarque)
Contatos:
Páginas na internet:

5 comentários:

  1. Assim como a toda a nova geração da tal mpp ela precisa de muita estrada ainda para poder se auto intitular diva. Ainda carece muito de brilho no olho, afinação, carisma, entrega, domínio de palco e composições melhores.O problema é que se fazer de simpática em Belém conta mais ponto que talento.Fica a dica.

    Antônio Salazar

    ResponderExcluir
  2. Juliana, branco não te favorece.Precisa dizer por que?
    Sucesso nega

    ResponderExcluir
  3. Salazar, esse papo é a típica conversa de quem não aceita que a sua geração ficou pra trás. É preciso se modernizar e ver que a música mudou e a era do rádio tornou-se história - respeitável, mas onde tem que estar. É preciso abrir os braços pro novo e parar de salivar no prato alheio. Brilho no olho, afinação, carisma, entrega, domínio de palco e todas as virtudes de qualquer artista em excesso viram defeito.

    Quanto a composições melhores, deixe a amargura de lado. Fica a dica.

    Camila

    ResponderExcluir
  4. "Se vc disser, que eu desafino amor..."

    ResponderExcluir
  5. Novamente, venho esclarecer aos meus colegas de trabalho, amigos,fãns e alunos que os comentários feitos por esse tal de "Antõnio Salazar" não tem nada que ver comigo.

    Tom Salazar Cano

    ResponderExcluir